sexta-feira, 7 de novembro de 2008

... Quase apanhados

… O resto do dia ficamos bastante ocupados… com trabalho claro… haviam algumas reuniões agendadas anteriormente com o Sr administrador e ele teve de o substituir, contentamo-nos com uns olhares cúmplices, surpreendi-o várias vezes a sentir a minha cueca, isso deixava-me em alvoroço. Na hora de saída ele ainda estava ocupado fui-me embora em fogo. No dia seguinte cheguei primeiro que ele, meti conversa com dona L… para ter uma ideia das pessoas que entravam no piso 12 . Éramos só nós os três.
A limpeza era só feita ao sábado, arrisquei a perguntar se sabia quem tinha colocado um embrulhinho na minha cadeira no dia anterior, ela sorriu para mim e disse “ está a referir-se à cueca que encontrei na sala de reuniões?” não podia ter sido mais directa, eu devo ter ficado de todas as cores. Depois tranquilizou-me que podia contar com a sua descrição, e acrescentou “ têm sorte de sermos só nós os três porque o que existe entre vocês é muito visível, tentem ser mais discretos” voltou a sorrir. Segui para o meu gabinete um pouco ansiosa, bem pelo menos o mistério da cueca estava desvendado.
Entretanto ouvi ele a chegar, a Dona L. veio logo atrás, trataram do que tinham a tratar, não consegui trabalhar mais… comecei a ficar ansiosa… com a respiração acelerada… será que ele ia chamar por mim… ou… vinha ter comigo… comecei a ficar húmida…. ele chamou… obedeci…. ele estava sentado na secretária dele…fez-me sentar no colo dele e beijamo-nos, tocamo-nos sempre com urgência, afastou –me a cueca, tocou na minha humidade, levantou-me ligeiramente… libertou o seu sexo já erecto e quando ia entrar em mim batem à porta…. aiiiiiiiiiiiiiiiiii…… que susto… de certeza que não vou morrer velhinha… não há coração que aguente... só tive tempo de me esconder debaixo da secretária dele… ele sentou–se logo, mandou entrar…. era o meu chefe do 8º piso, que chato, aparece sempre na hora errada
O P… não apertou as calças direitas, debaixo da secretaria, eu via o sexo dele mesmo a frente do meu nariz, que vontade de tocar nele, mas contive-me notava-se na voz dele que estava nervoso. Oh que situação…. estava a ficar com vontade de rir… respirei fundo várias vezes… não estava a resultar… trinquei os lábios… ordenei a mim mesma “não rias… não rias…. não rias”…

4 comentários:

Stranger disse...

a solução estava mesmo a frente do nariz eheheh

f.a disse...

Pois,tambem acho,começa a xupa-lo todo que a vontade de rir passa num instantinho.(tou aconcelhar porque ja experimentei e resultou)

VERTIGO disse...

srsrrssrsrsrs, que cena,srrsrssrrsmas faz o que a F.A diz e se ela já fez tem experiência,srsrrsrsrrsrs Quem sabe não acalma também o moço que está nervoso,rsssrrsrrsrs

Beijos!!!

Penumbra disse...

Ora bolas...
Mas então ficam assim...? Parem lá de rir sff e vamos lá continuar isso.

:)
Beijo