quinta-feira, 20 de novembro de 2008

... Mimos


… Foi bom ter almoçado com Dona L., foi uma companhia agradável e tranquilizadora, e contou-me coisas interessantes sobre ela, agora entendo a cumplicidade dela em relação a mim e ao P. Quando regressamos ao piso 12 o P. não estava tinha uns compromissos fora da empresa. Foi melhor assim, de manhã estava demasiado transtornada e pouco trabalhei tinha de me esforçar um pouco mais à tarde para pôr o trabalho em ordem. Às cinco horas ele chegou, veio directo ao meu gabinete, queria saber se já tinha resolvido o meu problema familiar, primeiro olhou me com preocupação depois com ternura … desviei o olhar para não cair na tentação de o abraçar…ele deu um passo na minha direcção… fiquei em sobressalto…. desistiu e regressou ao gabinete dele. Às seis preparei-me para sair, ele perguntou se eu não queria ficar mais um pouco… entrei numa contradição inexplicável… desejava aquele homem mas… já não conseguia fazer amor no local de trabalho pelo menos naquele dia… mas... não sabia como lhe explicar isso sem contar a verdadeira razão… concordei em ficar…. ele foi fechar a porta principal… entretanto sentei-me no sofá… comecei a ficar tensa…. ele sentou–se à minha beira, olhou-me bem nos olhos… aproximou a boca dele na minha muito lentamente… gelei por dentro… ele percebeu que alguma coisa me perturbava... suplicou que lhe contasse o que se passava comigo mas, não saía nenhuma palavra. Abraçou-me e docemente foi beijando o meu rosto sem me tocar nos labios, mimou me tanto que não consegui conter as lágrimas que caíam descontroladamente, era mais forte que eu , chorei durante algum tempo até as lágrimas secaram por si… de seguida as nossas bocas se procuraram naturalmente e entreguei-me sem reservas as carícias daquele homem, que me amou sem urgência, vagueou pelo meu corpo calmamente, beijou cada centímetro da minha pele, me fazendo estremecer a cada toque, aplicando toda a sua sabedoria só para me dar prazer esquecendo se de si próprio, a intensidade do seu toque fazia-me agitar as ancas cada vez mais, enlouquecendo-me gradualmente até ao êxtase final. Ele pousou a cabeça no meu colo enquanto eu acalmava a minha respiração e meu coração… de seguida ... despi o fixando o seu olhar... sentei-me no colo dele... o seu sexo erecto e agitado entrou dento de mim... beijei o demoradamente ... ainda tinha o meu gosto na sua boca... baloicei calmamente olhando sempre para ele, gradualmente fui aumentando o ritmo até o fazer explodir dentro de mim…e ficamos assim nos braços um do outro algum tempo…



9 comentários:

f.a disse...

Aiiiiiiiiiiiii....quem me dera!E logo hoje!Eu bem fiz o convite,ele bem queria...mas era impossivel!
Fica pra proxima!

Lord of Erewhon disse...

Não assines fotos que não são tuas, fica mal.

Pekenina disse...

Maneira de acabar bem o dia, não é? :)

VERTIGO disse...

E ficar assim é muito bom!!!

Beijos!!!

Rei Lagarto III disse...

Olhos nos olhos... Gosto disso...

VERTIGO disse...

Não tem mais!!!!!!!!!srsrsrsrrsrs

Bento disse...

Intenso...o texto...obrigado por partilhares

ANDANTE da CAMPANHÃ disse...

Ela não foi mais uma, representou e representa muito para mim, eu sei, ela não acredita.

Ela sim disse disparates inconcebíveis, enfim.

Beijo em ti Felina

Ari disse...

"Foi você no meio de minhas pernas, você dentro de mim.
Foi gozo, mais um gozo silencioso, por isso,
que agora necessito gritar, foi tão bom, tão bom...
Brincar de te amar."

(Autoria de Katarine Lins)