segunda-feira, 27 de outubro de 2008

... primeira resistência à submissão


…Conforme ia descendo as escadas ia me aproximando da realidade, tinha de ir trabalhar e já ia demasiado atrasada , consciente da situação desatei a descer os degraus dois a dois. Quando cheguei ao meu gabinete reparei logo no olhar furioso do meu chefe fazendo sinal para o relógio, e durante o dia todo ele vingou–se matando me de trabalho. Por um lado foi bom, aliviou o meu pensamento, aquele homem que conheci no elevador tinha demasiado poder sobre mim. Não sabia quem era, como se chamava e no entanto já éramos tão íntimos e isso provocava me um misto de excitação e preocupação. Eu não podia pôr em risco o meu emprego não podia voltar a chegar tão tarde como naquele dia.
Por isso no dia seguinte quando cheguei ao elevador e ele não estava fiz um esforço sobrenatural e sai mesmo no piso 8 embora o meu corpo se sentisse atraído para subir.
As instruções de trabalho vinham geralmente por e-mail, e como fazia todos os dias fui verificar quais as tarefas a executar naquele dia. Seleccionei as que diziam a palavra “urgente”. Uma delas era a elaboração de uma mapa pedido pelo meu chefe, e a outra era da administração. Achei estranho porque a administração só trabalha directamente com os nossos chefes. Abri o e-mail e em letras garrafais dizia “PORQUE NÃO VIESTE? FIQUEI A TUA ESPERA”, tremi, tremi durante muito tempo. Aquele homem sabe quem eu sou, como me chamo, é da administração ou trabalha lá. Por isso é que no outro dia eu fui lá levar uns documentos ao piso 12…. foi ele que pediu. Ironia do destino ou lá o que é isso, no dia anterior cheguei tarde ao trabalho porque tive uma sessão de sexo sem saber com o ………Sr. Administrador ?...tomara que não seja. Elimino o e-mail sem responder, segundos depois aparece outro “QUERO-TE, ESTOU A TUA ESPERA, RESPONDE”,
As minhas mãos tremeram por cima do teclado a responder “NÃO VOU”. Tento voltar aos meus afazeres com alguma dificuldade de concentração, fiquei com uma dor no peito, a respiração ofegante, numa luta entre o corpo que pedia para ir e a razão que me dizia para não ir…

9 comentários:

f.a disse...

Acho que devias ir.É uma ordem da administração,da-te emprego,dá-te sexo e ainda te paga...que mais queres?Ser despedida???

Patrícia disse...

Tens pelo menos mais algumas pistas para tentar saber quem é... Não tens curiosidade? Não tens uma daquelas colegas que sabe tudo sobre todos e fala até não poder mais? Só tens de lhe puxar pela lingua com o tema administradores... :)

diabo no corpo disse...

isto começa a aquecer!!!! :D

Stranger disse...

quer-me parecer que, se no dia seguinte ele estivesse no elevador, ias até ao 12º outra vez eheh...
mas... não sabes mesmo o nome do administrador? o e'mail não tinha nome? o_O

Felina disse...

FA não posso seguir os teus conselhos tu és suspeita

Patricia, no gabinete só há homens e alguns mortinhos por me cair em cima, portanto a eles não posso perguntar nada

querida DC estou a tentar que arrefeça mas vai ser dificil muito dificil

Stranger se ele estivesse no elevador não ia ser possivel resistir lhe

Patrícia disse...

Trabalhar só com homens tem as suas vantagens. Neste caso... são mais as desvantagens.
Juro que te invejo... o que eu não daa por um flirt'zinho, por mais inocente que fosse, no trabalho... Algo que pelo menos ajudasse a desanuviar. Trabalhar com uma equipa cuja média de idades é só 15 anos a mais que eu... E com um espírito de função pública mais ou menos entranhado... às vezes acho que vou dar em doida! E peço a reforma! :)

Felina disse...

loool Patricia o melhor é dares a conhecer aos teus colegas as vantagens da reforma antecipada pode ser que depois contratem pessoal...mais ... jovem :)

Patrícia disse...

O governo é que me anda a estragar o esquema... isto de penalizarem o pessoal que quer ir mais cedo para casa... :) E para mal dos meus pecados, até as restantes pessoas com quem ligo diariamente são maioritariamente idosas... (Há pessoas sem sorte)

Mas conta lá... tens novidades?

VERTIGO disse...

O que fazer ? Ser ou não ser?
E agora José??

Ótimo texto!!