terça-feira, 13 de janeiro de 2009

... Tortura


…De seguida virou –me de frente… sentiu os meus seios gelados de estarem encostados a parede… afagou os com as suas mãos… e cobriu a minha boca de pequenos e rápidos beijos… e entre beijos perguntou me porque me estava a rir com Dona L…. respondi lhe que eram assuntos meus, e sempre entre beijos ele quis saber quais eram os assuntos e eu não estava interessada em dizer lhe quais eram, começou a fazer me cócegas… e eu não suporto cócegas, entre risadas cada vez mais fortes fui lhe pedindo para parar, mas nunca ninguém nos leva a sério quando dizemos não a rir… aninhei me… rolei pelo chão tentando escapar dele… o meu riso já era uma gargalhada bem sonora sem descanso… prendeu me as pernas com o seu corpo, continuando com uma situação que o divertia mas que a mim sabia me a tortura… ele não viu o meu desespero, e eu já não estava em mim… doíam me as costa de tanto rir, e o riso transformou se em choro de raiva , comecei a agredir lhe e a gritar para parar… só assim é que ele parou , mas eu não parei continuei com os braços no ar a tentar acertar lhe, primeiro ficou espantado, depois preocupado com a minha atitude, numa tentativa de me acalmar, deitou se em cima de mim, prendeu me os braços e começou a beijar me por todo o rosto, com palavras doces... pedindo desculpa, mas a minha raiva estava no auge e demorei a acalmar... o meu corpo tremia… os meus soluços foram diminuindo, até ficar tudo em silencio, só ouvíamos as nossas respirações... sentamo-nos… ele pôs se à minha frente pegou nas minhas mãos … depois levantou o meu rosto e fitou os meus olhos ainda húmidos… o seu olhar era tão terno.. eu sabia que ele estava arrependido, e que aprendeu que nunca mas nunca mais me deve fazer cócegas, pelo menos enquanto tiver o arranhão na cara, não se ia esquecer de certeza… levantei me … tentei apertar a blusa … mas faltavam alguns botões… lembrei me depois que foi ele na ânsia de me possuir que os fez saltar… pedi lhe para me chamar um táxi, aquela hora já tinha perdido o ultimo autocarro, ele disse que me levava… ao descermos no elevador fomos separados e em silencio … eu evitava o seu olhar e ele pela primeira vez não tentou me tocar…

3 comentários:

f.a disse...

Que desespero...foi mauzinho,ele...mas tu mereces-te!
Tambem adoro fazer cocegas...e nao costumo parar.
Que vais tramar desta vez?

VERTIGO disse...

Ola!! Belo texto, me lembrou uma música "Quis evitar teus olhos mas não pude reagir, fica a vontade então"

Beijos!!

aqui-há-gato disse...

Não sei como ainda não tinha dado contigo neste cantinho:)



O Gato