domingo, 4 de janeiro de 2009

... Cara a cara


... As lagrimas foram secando... fui ficando mais calma... tentando aceitar que ... possivelmente o meu envolvimento com o P. tinha acabado.... não muito resignada , envolvi-me no trabalho até à hora do almoço. Estava na nossa hora e ele ainda não tinha chegado mas também não esperei, precisava de tomar ar. Deambulei pelas ruas de Paris, com as mãos nos bolsos, olhando em redor sem ver, só o pensamento estava consciente... concentrando se naquela noite no aubergue, a ultima vez que estivemos juntos. Acabei por regressar ao piso 12 sem saber como. A meio da tarde aconteceu o que eu mais temia... o P. chegou... mas... chegou com ela... um tremor invadiu o meu corpo... supliquei baixinho para que ele não me chamasse... não queria vê-la de novo, mas, claro que a telepatia ali não funcionou, e ele pediu para lhe levar os relatórios que preparei de manhã. Enquanto ele fazia as apresentações... ia-me devorando com o olhar... fiquei desorientada com o atrevimento dele, olhar me daquela maneira à frente dela... obrigando me a engolir em seco... ela tinha o apelido dele... e era mais bonita do que me tinha parecido no restaurante... entreguei lhe os relatórios rapidamente e virei costas... fiquei tremula de raiva... não conseguia mais trabalhar... fiquei atenta aos movimentos dos dois... entretanto ela foi embora… segui o ruído dos passos dele… estava aproximar-se de mim…. fiquei com um nó na garganta … veio até junto de mim… sustive a respiração… olhos nos olhos… ele agarrou me para me beijar… enquanto me dizia que morria de saudades minhas… com um esforço sobre humano desviei a boca… ele ficou atónito… agarrou me com mais força… insistiu… estava a ser difícil resistir lhe… eu não podia deixa-lo avançar sem saber quem ela era… e perguntei lhe… ficou com um olhar enigmático e não me respondeu… continuou a olhar para mim… não me beijou mais, mas acariciou os meus seios com mestria, eu bem tentava resistir mas o meu corpo me traía ,ele sabia o poder que exercia em mim, de seguida a sua mão deslizou por entre as minhas coxas, afastou o tecido fino e suave que cobria o meu sexo e acariciou o tornando o ainda mais húmido, tentei em vão abafar os pequenos gemidos de prazer que ele me proporcionava… de repente parou… encostou as suas coxas às minhas … senti o seu sexo poderoso por baixo das suas calças… depois afastou se e foi-se embora… deixando me ali sozinha … em fogo… como se me quisesse castigar… Estava demasiado excitada para acabar assim… e continuei o que ele começou,…fazendo questão de gemer bem alto para que ele ouvisse…

3 comentários:

Pekenina disse...

Isto está mesmo cada vez melhor... nem tenho comentado, mas continuo por aqui... lendo...

Bento disse...

Felina... parece que estou a ouvir do outro lado do escritório... Vais ter que continuar a história..ai vais, vais... isto não se faz.., nem a tortura dele, nem a tua tortura aos leitores...
beijos

f.a disse...

Mazinha....geme...geme!