segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

... No banho




… Um tímido raio de sol bateu me na cara, recusei me abrir os olhos, sentia me como num sonho do qual não queria acordar, era delicioso estar abraçada a ele …corpos nus … colados… quentes… espreguicei me… ele mexeu se… e envolveu me ainda mais … aos poucos a minha consciência foi despertando até que dei um pulo na cama… o meu gesto brusco assustou o… olhou para mim um pouco desorientado, pedi para ele ver as horas… ele também deu um pulo… não era suposto ficarmos a dormir ali, já eram sete horas da manhã, tínhamos de voltar cada um à sua casa, para nos lavarmos , mudar de roupa e regressarmos ao trabalho, vestimo-nos apressados, tinha-mos a roupa espalhada pelo quarto, sempre que eu encontrava uma peça dele atirava lhe e vice versa, não conseguia encontrar as minhas cuecas, remexi aquele quarto que não era assim tão grande e nada de as encontrar, ele ria se e dizia que já estava a ser um habito, desisti e nem esperamos pelo elevador já gasto e lento, descemos as escadas… mas pelo corrimão… que sensação extraordinária… e divertida… desde a escola primária que não fazia esta proeza… sabe tão bem ser criança… mas não podia-mos repetir… num determinado momento senti a madeira a ceder, o edifício era velho… já no carro decidimos que iríamos primeiro a casa dele e depois à minha, as nossa casas estavam localizadas em sentidos opostos, pelo caminho ele põe a mão no bolso e tira a minhas cuecas… e cheira-as enquanto conduz, quando me apercebi puxei lhe o cabelo, fez me andar de gatas pelo quarto todo à procura das cuecas e elas estavam no bolso dele… este homem tirava me do sério, por fim deu-mas e pediu para eu as vestir de seguida… e eu sempre pronta a obedecer lhe … estávamos parados nos semáforos… levantei me ligeiramente para as encaixar perfeitamente e vejo o condutor do meu lado completamente colado ao vidro … corei… e o P só se ria… ele gostava de me ver atrapalhada. Chegamos a casa dele, ele fez questão que eu entrasse, abriu a porta bem devagar para não acordar a mãe, subimos sorrateiros ao primeiro piso, entramos no quarto dele, preparou rapidamente a roupa , deixou me ali e foi tomar banho… eu não resisti e quis assistir sem ele saber a esse momento tão intimo… abri a porta da casa de banho devagar… aquela imagem do seu corpo molhado fez o meu coração saltar… eu tinha de o tocar… tirei a roupa rapidamente… sem ele se aperceber.. encostei o meu corpo nu ao seu… ele estremeceu e abriu os olhos… ele gostou… senti logo o seu sexo a bater me perto do meu… beijei o… a àgua quente misturava se com a minha saliva, quando a minha boca começou a descer … ele desviou se de maneira que agua só lhe envolvesse as costas, ele só queria sentir a minha humidade… desci… ajoelhei … idolatrei aquele instrumento de prazer que me enlouquecia sempre que se agitava… e ele jorrou enlouquecido no meu rosto … a meio do seu gemido… estagnamos… ouvimos uma voz a chamar por ele… era a mãe… mais uma prova de esforço para o meu coração… ele apressou se a responder que estava tudo bem, só tinha batido com o cotovelo na parede… foi o suficiente para desencadear o meu riso … muito mau… ele já me conhecia, saiu rapidamente do banho sem desligar o chuveiro… apanhou uma toalha e foi ter com a mãe, tentando a convencer que estava tudo bem que ainda era muito cedo, para regressar para a cama, enquanto eu lutava para não cair na gargalhada, era mais forte que eu… remexi na minha memória uma situação triste para me desviar da vontade descontrolada de me rir… consegui… quando ele regressou eu estava aninhada no chão com a agua do chuveiro a envolver me… ele não viu mas as minhas lágrimas estavam diluídas na àgua… mas reparou no meu rosto sério… ficou preocupado… distraí o pedindo para me lavar e, carinhosamente lavou me o cabelo… acariciou me o corpo com o sabonete… as suas mãos escorregavam pelo meu corpo, por um momento esquecemo-nos que estávamos com pressa e que tínhamos de ir trabalhar… pegou em mim ao colo… encostou me a parede… e entrou em mim… sem parar de me beijar… os nossos gemidos se misturaram… os nossos fluidos seguiram o percurso da agua… a nossa pulsação acalmou… limpamo-nos rapidamente… pedi-lhe uma camisola dele e umas calças de fato de treino que me caíam pela cinta abaixo e que tinha de segurar com a mão, enfiei os meus sapatos de salto alto, de cabelos molhados, sem roupa interior , lá estava eu pronta para ir embora, uma mão nas calças outra no saco da minha roupa suja, ele seguia à frente dando sinal que podia avançar, a mãe dele já tinha regressada à cama, chegamos ao carro, ele desata a rir descontroladamente, quase que me contagiou, questionei a razão, respondeu me que fiquei muito sexy assim vestida … não me podia esquecer de segurar nas calças quando saísse do carro… a caminho da minha casa paramos para comprar croissants quentinhos , eu não saí do carro, chegamos, os meus pais já tinham saído para trabalhar, ainda bem, passamos pela cozinha disse lhe para ir aquecendo o leite, ele queria me seguir até ao meu quarto para me ver vestir, eu já sabia no que ia acabar, lembrei lhe que já ia-mos chegar tarde a empresa .
Preparei me o mais rapidamente possível, quando regressei à cozinha, o nosso pequeno almoço já estava pronto… café com leite e deliciosos croissants… foi tão bom amanhecer com ele e tomarmos o pequeno almoço juntos…

11 comentários:

f.a disse...

Mais uma historia deliciosa....como é bom amar e ser amada...como é bom estar em sintonia!
Adorei ler-te!

Anónimo disse...

Muito bem, com muito nivel ,,,cada vez melhor,,,,

Russo

Anónimo disse...

Fogo

só eu e a F.A. é que seguimos o teu blog,,,somos mesmo viciados,,,


Russo

Ventas e Xana disse...

Tanta imaginação..... muito excitante....

bjs

ana disse...

adoro este "cantinho".

cada vez melhor, adoro ler-te!


beijinhos

VERTIGO disse...

hUMMMMMMMMMM Gostoso esse banho e discordo que só duas pessoas acompanha o blog, também faço minhas visitas.

Felina disse...

Ana
Obrigado pela visita
beijinhos

Vertigo
Meu fiel visitante

Felina disse...

FA
como te entendo

Russo
mesmo que eu tivesse um só leitor eu continuaria a escrever

Ventas e Xanas
O vosso cantinho não é menos excitante
bjs

Anónimo disse...

Felina

eu compreendo porque continuarias a escrever, pois a tua historia é muito intensa, e bem vivida,,,,

isso é o bom da vida, ser intensa e bem vivida

Russo

Anónimo disse...

Vertigo

peço desculpa, pois estou a ver que és um visitante assiduo,,,

Russo

Trolha disse...

Pelos vistos somos ambos do signo Escorpião. E gostamos os dois de desejar o desejo do outro. Será assim?